quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Envelhecendo


Me dobro e me desdobro
fingindo nunca cansar.
Com minha alma ferida
durmo e sonho e vem lembranças
da juventude perdida.
sorrindo pra não chorar,
eu ando, eu corro e danço
entre as tulipas e margaridas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário